en | pt | es | fr | it | de | ja | Entrar

III.A.41 - Ministério da Educação e Saúde, hoje Palácio Capanema. Anos 30.

III.A.41 - Ministério da Educação e Saúde, hoje Palácio Capanema. Anos 30.

 

Projeto para a sede do recém criado Ministério da Educação e Saúde Autoria – Lucio Costa; colaboração Oscar Niemeyer, Afonso Eduardo Reidy, Jorge Moreira, Carlos Leão e Ernani Vasconcellos; consultoria Le Corbusier; jardins de Roberto Burle Marx; murais e azulejos de Candido Portinari; esculturas de Bruno Giorgi, Celso Antonio; projeto estrutural Baumgart; projeto insolação Paulo Sá. Localização – Rio de Janeiro, RJ (Esplanada do Castelo, Centro) Data do projeto – 1936 Observações – construído; tombado pelo IPHAN. “Não apenas marco de uma época, mas de um excepcional momento de idealismo e de lucidez, no confuso quadro dessa época.” “O que não foi possível realizar na reforma da Escola, foi feito aqui, cinco anos depois: a adequação da arquitetura à nova tecnologia construtiva do aço e do concreto armado. Em 1938, com o prédio do Ministério já em construção, ainda não havia em Nova York nenhum arranha-céu com fachada envidraçada – a ‘curtain wall’ ou ‘mur-rideau’ – surgiram todos depois.” (in “Lucio Costa: registro de uma vivência” pg.122). Projeto encomendado pessoalmente a Lucio Costa pelo Ministro Capanema, depois da anulação do concurso havido; a decisão de montar uma equipe de arquitetos foi de iniciativa do próprio Lucio Costa. Nos anos 80 o edifício, lamentavelmente, sofreu algumas intervenções no 2° pavimento, e no térreo (transformação do depósito em sala de teatro), e sua manutenção deixa a desejar, inclusive em relação aos jardins.

Notícias

Primeiro edifício moderno de grande porte, com fachada envidraçada, construído no mundo. Feito e aprovado um primeiro projeto, Le Corbusier, por insistência de Lucio Costa, foi chamado a opinar e sugeriu outro projeto, para outro terreno, à beira mar. Como a nova localização não fosse viável, a equipe brasileira, tomando como referência o projeto de Le Corbusier – para outro terreno – recomeçou do zero, e fez o projeto efetivamente construído sem nenhuma participação do mestre (a Europa estava em guerra), mas com deliberada e total fidelidade à sua doutrina. Le Corbusier viu o prédio construído pela única vez quando veio ao Brasil em 1963 conhecer o terreno da Embaixada da França em Brasília. “Este prédio foi construído lentamente, num país ainda subdesenvolvido e distante, por arquitetos moços e inexperientes, mas possuídos de convicta paixão e de fé, quando o mundo, enlouquecido, apurava a sua tecnologia de ponta para arrasar, destruir e matar com o máximo de precisão” (in “Lucio Costa: registro de uma vivência” pg.128).

(menu closed) Navegar III.A.41 - Ministério da Educação e Saúde, hoje Palácio Capanema. Anos 30. por favoritos

(menu closed)

Ver imagens